O ex-presidente dos Estados Unidos Bill Clinton lamentou na quarta-feira que o crescimento económico dos últimos anos se concentre na minoria dos mais ricos e pediu que a política do seu país volte a ser inclusiva.

As declarações do democrata Bill Clinton - Presidente dos EUA entre 1993 e 2001 -, foram proferidas na Cimeira de Direitos Civis em Austin (Texas), que celebra meio século da lei que proíbe a discriminação com base na raça, género, religião e origem nos Estados Unidos.

Para Clinton, as condições económicas criam «um obstáculo extremo ao crescimento a longo prazo e ao bem-estar social», defendendo que o país funciona melhor quando a prosperidade é partilhada pelo máximo de cidadãos.

«Quanto mais partilhamos a prosperidade, mais oportunidades criamos para os outros se tornarem milionários e multimilionários», precisou.

O ex-presidente considerou que os rendimentos médios reais por família nos Estados Unidos estão abaixo do nível em que se situavam quando deixou a Casa Branca em 2001.

Considerou também que estas condições económicas são uma tendência internacional. «Em todo o mundo há cortes de postos de trabalho, particularmente grandes entre os jovens», sublinhou.