A Autoestrada Transmontana, que liga Bragança a Vila Real, fica pronta em agosto, estando prevista para «o final da tarde» desta sexta-feira a abertura de mais um troço no distrito de Bragança, anunciou a concessionária.

O diretor geral da Autoestradas XXI, Rodrigues de Castro, confirmou que «hoje ao final da tarde vão entrar em serviço os sublanços dos nós de Santa Comba de Rossas/Mós e Bragança Poente, numa extensão de 12 quilómetros.

Com a abertura deste troço ficam operacionais 102 dos cerca de 130 quilómetros da autoestrada e até ao final do mês de julho vão abrir mais 18 quilómetros entre Santa Comba de Rossas e o nó da Amendoeira, em Macedo de Cavaleiros.

Nessa ocasião, a via fica totalmente concluída no território correspondente ao distrito de Bragança, segundo explicou o responsável, faltando apenas terminar os trabalhos em cerca de 10 quilómetros do distrito de Vila Real, em que se inclui o viaduto do Corgo.

De acordo com Rodrigues de Castro, o viaduto «está pronto e vai iniciar-se, na próxima semana, o ensaio de carga».

Falta, no entanto concluir um nó deste percurso que a concessionária prevê esteja executado em agosto, apontando para «a segunda quinzena» desse mês a conclusão total da autoestrada.

A Transmontana ficará concluída com um ano de atraso relativamente ao prazo inicialmente estipulado, que era setembro de 2012.

Os automobilistas têm a garantia de que vão circular sem pagar portagens, pela menos no imediato, já que, segundo a concessionária, não houve qualquer alteração ao contrato inicial e «não está prevista a instalação de pórticos».

Os únicos troços portajados são as variantes de Bragança e Vila Real que têm como alternativa o atual IP4.

A Autoestrada Transmontana foi construída no âmbito de uma parceria público privada adjudicada, em 2008, ao consórcio liderado pela Soares da Costa, com um custo de 510 milhões de euros.

A denominação que os automobilistas encontram nas placas informativas é A4, já que a via corresponde ao prolongamento da autoestrada que já liga o Porto a Amarante e que está a ser realizado em duas empreitadas.

A Autoestrada do Marão, entre Amarante e Vila Real, que incluiu o Túnel do Marão, está parada há quase dois anos por dificuldades financeiras do consórcio liderado pela Somague.

O Governo já resgatou a obra, mas ainda não é conhecida um data para retomar os trabalhos.