Afinal, a auditoria feita pela Direção-Geral do Tesouro e Finanças a pedido da ministra das Finanças mostra que Maria Luís Albuquerque deu parecer favorável a um contrato swap assinado pela Estradas de Portugal quando esta trabalhava como técnica no então Instituto de Gestão da Dívida Pública (IGCP).

O relatório, citado esta quinta-feira pelo «Diário de Notícias», contradiz assim as explicações dadas esta semana pelo Ministério das Finanças, segundo as quais, quando trabalhava no IGCP, a ministra das Finanças realizou apenas análises de pedidos de empresas públicas sobre empréstimos e não sobre swaps.

De acordo com o jornal, o relatório da auditoria mostra especificamente que o IGCP aceitou em 2009 o contrato swap da Estradas de Portugal e Maria Luís Albuquerque assinou o parecer favorável.

Ainda ontem a ministra das Finanças mostrou-se disponível para voltar ao Parlamento e prestar todos os esclarecimentos sobre o seu papel nos contratos swap assinados pelas empresas públicas e diz que as notícias que envolvem o seu nome não a fazem sentir-se fragilizada no cargo que ocupa.