O presidente da West Sea, subconcessionária dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo, afirmou esta sexta-feira que em 2015 a empresa espera chegar aos 400 postos de trabalho, sendo que atualmente já emprega 122 trabalhadores.

«Estão aqui trabalhar 122, julgo que desses 122 cerca de 100 foram recuperados da antiga estrutura. Nós agora podemos chegar aos 400. Julgo que durante o ano de 2015 esse número poderá ser ultrapassado (…). Vamos fazer o nosso percurso, mas julgo que os 400 postos trabalho diretos serão facilmente conseguidos», afirmou.

Recorde-se que o «compromisso» assumido pela empresa era o de chegar aos 400 postos de trabalho criados em Viana do Castelo, o que iria acontecer «ao longo do tempo».

O presidente da West Sea falava a bordo do navio Atlântida onde decorreu a assinatura do primeiro contrato de construção naval celebrado pelo grupo português desde que assumiu, em maio, a subconcessão dos terrenos e infraestruturas dos ENVC.

O contrato assinado nos estaleiros entretanto subconcessionados à West Sea prevê a construção de um navio-hotel para a Douro Azul, num investimento de 12 milhões de euros.

Desde 2 de maio, a West Sea já contratou 122 trabalhadores, sendo que cerca de uma centena de funcionários foi recrutado da antiga empresa pública.

Na carteira de encomendas a empresa conta, até agora, com 22 reparações e reconversões de navios oriundos de todo o mundo.

O ministro da Defesa Nacional afirmou que o país assistiu ao «renascer» da construção naval com a assinatura deste contrato.

«Depois de uma grande reforma, depois de termos resistido a todas as pressões para que tudo ficasse na mesma, em que havia apenas o benefício de uns poucos em prejuízo do que era o interesse do país, Portugal assinala hoje o renascer da construção naval e em Viana do Castelo» afirmou José Pedro Aguiar-Branco.