A Fidelidade está dispensada de lançar uma nova oferta pública de aquisição sobre a Espírito Santo Saúde, decidiu a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, dando deferimento ao pedido da empresa detida pela chinesa Fosun.

Em comunicado, a Espírito Santo Saúde, SGPS informou esta quinta-feira que o regulador deliberou, a 14 de novembro, declarar a derrogação do dever de lançamento de OPA da ES Saúde pela Fidelidade – Companhia de Seguros, por a primeira OPA, lançada em outubro, ter sido lançada sobre a totalidade dos valores mobiliários, por ter sido geral e não parcial e ter respeitado o artigo relativo à contrapartida.

De acordo com o regulador, a Fidelidade está dispensada de lançar uma nova OPA sobre a dona do Hospital da Luz, depois de ter conseguido captar um total de 96,065% do capital social da empresa, segundo os resultados oficiais divulgados a 15 de outubro pela bolsa portuguesa.

Contando com as ações que a Fidelidade já detinha, o grupo segurador possuía a 06 de novembro uma participação total de 96,086% do capital social da  ES Saúde e 96,143% dos direitos de voto da  ES Saúde.