A Volkswagen conheceu esta terça-feira a primeira sentença da justiça espanhola sobre o caso dos motores adulterados e ganhou em tribunal de primeira instância de Torrelavega, na Cantábria, norte de Espanha.

Na prática, o juiz recusou os argumentos do comprador de um Volkswagen Tiguan (em maio de 2012), que pretendia a anulação da compra e a devolução do dinheiro do carro. Em causa, estão cerca de 34.500 euros.

O juiz considerou que o comprador não demonstrou ter "uma especial consciência ecológica", cita a Lusa.

Este alegava que o motor do carro que comprou tinha sido adulterado para dissimular as reais emissões de óxido de azoto.

Recorde-se que foi em setembro do ano passado que a Volkswagen admitiu que equipou vários dos seus modelos a gasóleo com um programa informático fraudulento que reduzia as emissões registadas. No total, o fabricante alemão vendeu 11 milhões de carros com este software, dos quais quase 700 mil em Espanha.

Nos Estados Unidos, a fabricate vai pagar 4.400 euros a cada cliente lesadocinco vezes mais do que o valor inicialmente estimado. O acordo evita o arranque de um julgamento no verão. Para os clientes europeus é que não há qualquer indemnização prevista.