Os administradores do Novo Banco em Espanha destituíram o diretor-geral Pedro Escudero, que foi escoltado até à porta da instituição por dois seguranças, num episódio inédito, revela o «El Confidencial».

Alegadas irregularidades levaram a esta decisão de destituir o responsável que estava à frente da instituição desde meados de 2009.

Fontes oficiais do banco declinaram comentar o episódio, assim como os motivos que levaram a este despedimento «fulminante». Mas fontes internas adiantam que são temas muito delicados que fizeram com que nem sequer pudesse ter acesso ao ser computador pessoal.

Escoltado até à saída do banco que funciona na Calle Serrano, em Madrid, Escudero não pode levar os seus objetos pessoais, por receio que pudesse destruir provas.

 O Novo Banco tem 35 sucursais em Espanha. Sob a direção de Escudero a entidade quis comprar alguns bancos, como o Banco Galego, mas nunca conseguiu o «ok» do Banco de Espanha.