A agência de notação financeira Moody¿s manteve esta segunda-feira a perspetiva «negativa» sobre a banca espanhola, apesar de ter reconhecido melhorias em termos macroeconómicos, noticia a agência Efe.

A agência reconheceu que as perspetivas de recuperação económica são boas, com um crescimento do PIB de 1,2% este ano e de 1,7% em 2015, e afirmou que a estabilização gradual da banca espanhola vai assentar sobre estas bases.

Não obstante, o ritmo de recuperação continuará a ser moderado nos próximos anos, já que o setor privado tem ainda que reduzir os elevados níveis de dívida, indicou o analista de crédito e autor do relatório Alberto Postigo.

Sobre os bancos vai continuar a pesar o setor imobiliário, cujo excesso de oferta residencial fará com que os preços continuem a cair, adiantou Postigo, afirmando que o volume de créditos problemáticos é muito elevado.

A Moody¿s referiu que a pressão sobre a banca espanhola por parte da zona euro «tornou-se um desafio», e que a incipiente recuperação iniciada no terceiro trimestre de 2013 permitirá ao setor melhorar a qualidade do seu crédito, quando começarem a baixar os níveis de desemprego e a aumentar a procura interna.

As boas perspetivas macroeconómicas vão permitir à banca conceder crédito mais barato, aumentar a sua rentabilidade e gerar capital, estimou a Moody¿s.

A agência de notação financeira acrescentou que as entidades espanholas reduziram o endividamento sobre os seus próprios fundos e que já não dependem tanto dos bancos centrais para se financiarem.