As empresas cotadas em Espanha mais que triplicaram os resultados agregados para um total de 18.625 milhões de euros no primeiro semestre do ano, face a igual período de 2012, informou a Comissão Nacional de Mercado de Valores (CNMV), citada pela Lusa.

Na sua análise a 149 empresas cotadas em bolsa, tanto no Ibex35 como no resto dos mercados, a CNMV refere que o resultado conjunto de exploração foi de 25.300 milhões de euros, mais 45,7%, tendo os dividendos pagos caído, apesar disso, 62,2% para 3.127 milhões de euros.

A quase totalidade desse aumento (94%) deve-se, segundo a CNMV, ao melhor comportamento das entidades de crédito que passaram de perdas de 3.609 milhões de euros a lucros de 9.507 milhões de euros.

Os dados confirmam que entre estas empresas, que incluem as maiores empresas de Espanha, o número de trabalhadores caiu 7,5% no primeiro semestre, face ao semestre anterior, para 1.699.924 pessoas.

Por sua vez, a percentagem e o valor de entidades em perdas no primeiro semestre caíram significativamente, de 68.777 milhões de euros em 2012 para 2.846 milhões de euros este ano.

A percentagem de entidades com benefícios no primeiro semestre de 2013 era de 66,4%, 14 pontos percentuais acima dos valores 2012, aumentando também o número de companhias que tiveram melhorias nos resultados acima de 20% (40 face ás 28 de 2012).

Elaborado pela Direção de Relatórios Financeiros e Corporativos - pertencente à Direção Geral de Mercados ¿ o relatório analisa os dados agregados extraídos da informação económica e financeira que as empresas remetem ao supervisor com os resultados obtidos até o mês de junho.

Com isso, explica a CNMV, pretende-se «ajudar a contextualizar e entender a informação financeira que as sociedades emissoras estão obrigadas a comunicar ao mercado».

O documento analisa, em detalhe, questões como endividamento, investimento, dividendos e outros indicadores dos resultados das empresas por setor de atividade.