Os credores das sociedades do Grupo Espírito Santo, incluindo os do papel comercial, têm agora até setembro para reclamar os créditos junto da Espírito Santo International e da Rioforte.
 
"Vão ser aceites reclamações de créditos após 1 de Junho de 2015”, pode ler-se na nota escrita pelas empresas. Este é o segundo adiamento.
 
Recorde-se que a ESI e a Rioforte emitiram papel comercial que depois foi vendido aos balcões do BES. Há cerca de 2.500 lesados que não receberam os créditos a que tinham direito, num valor total que rondará os 550 milhões de euros.
 
As duas empresas foram declaradas insolventes pelo Tribunal do Luxemburgo. Ainda não se sabe quem vai afinal reembolsar os clientes. Esta segunda-feira a imprensa deu conta de que o Banco Central Europeu quer impedir que o Novo Banco compense estes clientes.

Na altura do resgate do BES, os créditos não passaram para o Novo Banco e ficaram no "banco mau". Os lesados têm realizado protestos por todo o país, exigindo o reembolso do dinheiro investido.