A Volkswagen confirmou esta quarta-feira que não vai indemnizar os proprietários europeus de veículos equipados com um dispositivo para distorcer as emissões poluentes, ao contrário do que acontece com os clientes norte-americanos.

"Não haverá compensação financeira para os proprietários destes veículos (equipados com motores manipulados) na Alemanha", declarou à France Presse Enrico Beltz, porta-voz do grupo para as vendas. De notar que as medidas propostas pela construtora automóvel na Alemanha -  e validadas pelas autoridades - serão aplicadas em toda a Europa.

No início de novembro, a VW tinha anunciado uma compensação de 1.000 dólares por viatura para os 480.000 automobilistas norte-americanos afetados pelo caso e assistência gratuita por três anos em caso de avaria.

A diferença de tratamento entre os Estados Unidos e a Europa justifica-se "porque estes dois mercados não são comparáveis", declarou Beltz.

"Nos Estados Unidos, o diesel é minoritário, um segmento muito pequeno" do mercado automóvel. Mais: os proprietários de veículos a diesel pagam mais pelos carros e têm de "pagar o combustível mais caro" que os automobilistas alemães.

Na Alemanha, as vendas de veículos a diesel representam "perto de 50% do total do mercado automóvel", apontou ainda.

O objetivo do construtor é reparar os veículos sem afetar o seu desempenho. "Se conseguirmos fazer isso, não haverá indemnização para os clientes alemães", sublinhou. O construtor ainda não está em condições de garantir que esse objetivo será atingido.

O grupo, que integra 12 marcas, terá de chamar às oficinas 8,5 milhões de veículos com um dispositivo destinado a distorcer as emissões poluentes a partir de janeiro, na Europa.

Em Portugal, há mais de 125 mil carros afetados pelo escândalo.