A Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) dá 'luz verde' a projetos de investimento da REN na rede de transporte de gás natural, orçados em cerca de 33,5 milhões de euros, sendo a maioria na segurança e melhoria operacional.

No parecer ao Plano de Investimento da Rede de Transporte, Infraestruturas de Armazenamento e Terminais de gás para 2016-2025 da REN, o regulador aprova um conjunto de investimentos nas infraestruturas relacionados com “segurança e melhoria operacional, adequação regulamentar e remodelação ou substituição por fim do tempo de vida útil”, a que corresponde um montante total de investimento previsto de 25 milhões de euros.

Também o projeto de reforço da capacidade de extração/injeção do armazenamento subterrâneo do Carriço, correspondendo a um montante de investimento previsto de 7,8 milhões de euros, merece o aval do organismo liderado por Vítor Santos, que avalia a necessidade e o impacto dos planos da REN.

Segundo o documento divulgado hoje, a REN também poderá prosseguir com os projetos de ligação de novos pontos de entrega da rede de transporte de gás natural à rede de distribuição, num investimento de 750 mil euros anuais.

"Todos os restantes projetos de investimento que constem da proposta revista de PDIRGN [Plano decenal indicativo de Desenvolvimento e Investimento da Rede Nacional de Transporte, Infraestruturas de Armazenamento e Terminais de GNL] 2015, que irá ser submetida para aprovação pelo concedente, deverão ser assinalados como tendo a sua Decisão Final prevista para a edição de 2017 ou seguintes da proposta de PDIRGN".

Pela sua relevância, a ERSE destaca o adiamento do investimento no terceiro gasoduto de ligação Portugal-Espanha, recomendando que a sua concretização espere pelo desenvolvimento do projeto em Espanha e França, reforçando o elevado impacto que teria no tarifário do gás natural.