O mercado livre de eletricidade ganhou 57 mil clientes em junho, um aumento de 3% em relação ao mês anterior, totalizando agora 1,78 milhões de clientes.

Segundo o resumo informativo do mercado liberalizado de eletricidade, divulgado pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), o número de clientes no mercado livre aumentou em junho cerca de 1,4 pontos percentuais abaixo do crescimento registado em maio.

No que se refere ao consumo no mercado livre, houve um crescimento de cerca de 0,5% face ao mês anterior, o que significa metade da taxa de crescimento médio mensal registada desde junho de 2012.

Durante o mês de junho, registaram-se 4.294 mudanças de carteira entre comercializadores em mercado livre, sendo que o segmento de pequenos negócios foi o mais ativo neste domínio, seguido pelo dos industriais, escreve a Lusa.

De acordo com os dados da ERSE, a EDP Comercial continua a ser o principal operador no mercado livre, quer em número de clientes com cerca de 85% do total de clientes, quer em consumos com 45% dos fornecimentos do mercado livre.

A empresa do grupo EDP consolidou a sua posição face a maio, com um aumento da quota em cerca de 0,2% em número e 0,1% em consumo. Em contrapartida, a Endesa continuou a perder quota de mercado, o que acontece há um ano.

No mês de junho, a Nexus Energia deixou de ter clientes em carteira, segundo o mesmo documento.

Os três principais operadores de mercado ¿ EDP, Endesa e Iberdrola ¿ representam cerca de 87% dos fornecimentos de energia no mercado livre e detêm cerca de 94% dos clientes que operam neste mercado.

O processo de liberalização do mercado retalhista de energia elétrica está em período de transição, com a liberalização plena a ocorrer no final de 2015.