O mercado liberalizado de eletricidade ganhou mais de 118 mil clientes em fevereiro, totalizando no final do mês 2,5 milhões de consumidores, que representavam 75% do consumo total em Portugal continental, segundo a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE).

De acordo com o resumo informativo mensal divulgado esta quinta-feira, em fevereiro, o número de clientes no mercado livre cresceu 4,9% em relação ao mês anterior e o consumo de eletricidade em regime liberalizado aumentou cerca de 1,8% no mesmo período.

Desde fevereiro de 2013, o número de consumidores no mercado livre praticamente duplicou, a uma taxa média mensal de cerca de 4,8%; enquanto o consumo aumentou 18%, o que corresponde a uma taxa mensal de 1,4%.

Mais de metade do consumo doméstico (54%) ainda decorre em mercado regulado, apesar da transferência para o mercado livre ter acelerado desde o final de 2012, como refere o boletim do regulador do mercado.

No mês de fevereiro foram ainda registadas mais de 9.000 mudanças de carteira entre comercializadores de mercado livre, sendo a maior parte empreendida nos segmentos de menor consumo (residencial e pequenos negócios).

A EDP Comercial reforçou a sua posição como o principal operador no mercado livre em número de clientes, tendo cerca de 85% do total, e em consumos, com cerca de 45% dos fornecimentos no mercado livre.

Entre janeiro e fevereiro, apenas a EDP Comercial aumentou a sua quota de mercado, enquanto a Endesa (6,4%) e a Iberdrola (2,8%) reduziram a sua quota.

O processo de liberalização do mercado retalhista de energia elétrica está em período de transição, com a liberalização plena a ocorrer no final de 2015.