Os Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC) arrecadaram hoje 71.885 euros em três leilões de material realizados na empresa, com um preço base global de mais de 627 mil euros.

Em causa estão leilões de material pesado, no âmbito do encerramento dos estaleiros públicos e a subconcessão dos terrenos e infraestruturas ao grupo privado Martifer já em maio.

Durante o dia de hoje realizaram-se três destes procedimentos, o primeiro dos quais relativo a 15 empilhadores, colocados à venda com um preço base total de 177.700 euros.

Contudo, para este leilão, a empresa recebeu apenas quatro propostas (o prazo terminou na passada sexta-feira) e vendeu outros tantos empilhadores por 41.860 euros.

No leilão de material de escavação e carga, dos seis equipamentos à venda por 27.500 euros (preço base) os estaleiros receberam apenas duas propostas, e para o mesmo trator. Este foi vendido por 675 euros, à melhor proposta.

À tarde, no leilão de cinco zorras hidráulicas (meios de elevação móvel), a administração dos ENVC pedia 422.600 euros mas conseguiu apenas vender um destes equipamentos, por 29.350 euros, tendo recebido igualmente duas propostas para o mesmo.

Todas estas vendas representam ainda uma intenção de adjudicação, já que os preços propostos ainda têm de ser ratificados pela administração dos ENVC até quinta-feira.

Os vinte equipamentos que hoje não foram negociados deverão ser novamente colocados à venda nos próximo dias, previsivelmente após revisão do preço base pedido para cada um, indicou à Lusa uma fonte dos estaleiros.

Estão ainda agendados para os próximos dias leilões de viaturas, material de cozinha, cavaletes metálicos, equipamentos de metalomecânica e de equipamentos de navios.

Também serão repetidos os procedimentos relativos a meios de elevação, gruas e guindastes da empresa, promovidos na segunda-feira e que ficaram desertos.

A administração dos ENVC terá de concluir até 30 de abril a venda de vário material móvel da empresa que ficou fora do concurso da subconcessão. Esse processo está a ser assegurado por cerca de 40 trabalhadores dos ENVC que, à semelhança dos restantes cerca de 550, aceitaram as rescisões amigáveis dos contratos mas continuam ao serviço, sendo por isso os últimos a saírem da empresa pública.

A West Sea, empresa criada pelo grupo Martifer, quer assumir a subconcessão dos ENVC a 02 de maio, já com uma carteira de encomendas de reparação e construção naval, disse à Lusa fonte oficial da empresa.

Acrescentou que a West Sea «está a desenvolver todos os esforços para entrar nos ENVC e anunciar os contratos de reparação e construção naval que está nesta altura a negociar».

Segundo a West Sea, além da construção e da reparação naval, o projeto para os estaleiros de Viana do Castelo, que estão em processo de liquidação, está «muito voltado» para o mercado da prospeção de gás offshore.