Há 172 licenciaturas e mestrados integrados com taxas de desemprego superior à media nacional, escreve o Diário Económico. Os valores constam num documento elaborado pela Direção-Geral do Ensino Superior que está a servir de base para a decisão das novas vagas a abrir nas universidades e politécnicos no próximo ano letivo.

No geral, a taxa de desemprego fica-se nos 8,3%, bem abaixo da média nacional. O ensino politécnico é o que apresenta piores resultados, com 9,2% de desemprego entre os alunos diplomados há mais de um ano, enquanto esse valor nas universidades cai para os 7,2%.

Os números destacam duas áreas de formação: os serviços de saúde pública, com 17,8% de desemprego e o Trabalho Social e Orientação, com 15,1%.