Portugal vai passar a estar ligado ao mercado grossista de eletricidade europeu a partir de 13 de maio, o que permitirá vender energia a 17 países da Europa quando agora só podia comercializar com Espanha.

O início efetivo do acoplamento do mercado diário de eletricidade da região do sudoeste está agendado para o dia 13 de maio, segundo adiantou a REN, gestora da rede elétrica nacional, o que significa que, a partir dessa data, os mercados diários do noroeste (NWE) e do sudoeste (SWE) europeu, que se estendem desde a Finlândia a Portugal, estarão acoplados.

«Passa a ser possível a Portugal vender energia no mercado diário para toda a Europa, quando até agora apenas podia fazer trocas com Espanha, o que permite uma utilização mais eficiente dos recursos», disse à Lusa a diretora geral da REN, Maria José Clara.

Este passo conduzirá ainda a uma uniformização de preços no mercado grossista, uma vez que os preços da eletricidade serão calculados ao mesmo tempo e da mesma forma, tratando-se do primeiro passo para o mercado integrado de eletricidade.

Os mercados diários da NWE e SWE, que abrangem 17 países europeus, representam cerca de 2,400 Terawatt-hora (TWh) de consumo anual.