Os ministros da Energia dos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) recomendaram esta quarta-feira, em Paris, quatro medidas, incluindo a limitação dos subsídios a combustíveis fósseis, para diminuir a emissão de gases poluentes até 2030.

A informação foi dada à Lusa pelo ministro do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia, Jorge Moreira da Silva, que presidiu à sessão sobre alterações climáticas e energia, na cimeira de ministros da Energia da OCDE.

Os ministros propõem a redução, à escala mundial, da emissão de dióxido de carbono em três gigatoneladas, até 2030, recomendando quatro medidas: eficiência energética, limitação à construção de novas centrais a carvão ineficientes, redução para metade das emissões de metano a partir da prospeção de petróleo e gás, e limitação dos subsídios dados a combustíveis fósseis.

Jorge Moreira da Silva lembrou que o setor da energia «tem grandes responsabilidades nas emissões de gás com efeito de estufa», assinalando que «dois terços de todas as emissões mundiais resultam do setor da energia, que têm vindo a aumentar em resultado de haver um consumo de energia cada vez maior, em especial dos países emergentes».

Moreira da Silva adiantou que vai levar as recomendações para a 19.ª Conferência das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas (COP19), que termina na sexta-feira, em Varsóvia, na Polónia.