As tarifas de eletricidade no mercado regulado devem subir 2,5% para os consumidores domésticos a partir de 01 de janeiro, o que representa um aumento de 1,18 euros numa fatura média mensal de 47 euros.

A tarifa social para os consumidores considerados economicamente vulneráveis terá um acréscimo de 0,9%, o que corresponde a um aumento de 19 cêntimos numa fatura média mensal de eletricidade de 21,5 euros, de acordo com a proposta hoje apresentada pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE).

As tarifas transitórias para os cerca de 1,9 milhões de consumidores que ainda não migraram para o mercado liberalizado aplicam-se a partir de 01 de janeiro de 2016 e vigoram durante todo o ano.

Segundo a ERSE, o mercado liberalizado de eletricidade atingiu em agosto cerca de 4,19 milhões de clientes e representa já mais de 88% do consumo total em Portugal, tendo as tarifas transitórias cada vez menor expressão no setor elétrico.