A Ucrânia quer assegurar um empréstimo de 20 mil milhões de euros da União Europeia antes de assinar o acordo de associação com os 28, afirmou esta quarta-feira o primeiro-ministro Mykola Azarov.

«Propomos resolver este assunto através da oferta de assistência financeira à Ucrânia. Determinámos o seu montante aproximado, 20 mil milhões de euros», disse Azarov ao conselho de ministros, em declarações transmitidas pela televisão.

O governante precisou que não se trata de uma ajuda «a fundo perdido do orçamento europeu», mas sim de investimentos.

No passado dia 21 de novembro, alguns dias antes da cimeira da Parceria Oriental da UE em Vilnius (Lituânia), o governo da Ucrânia decidiu inesperadamente renunciar à assinatura de um acordo de associação e de um acordo de comércio livre com o bloco comunitário.

A oposição acusou então o governo de ter cedido à pressão da Rússia, que tinha claramente advertido Kiev das consequências comerciais de um acordo com a UE.

Os protestos contra a decisão do governo da Ucrânia deram origem às maiores manifestações na ex-república soviética desde a Revolução Laranja de 2004.