O crédito concedido a empresas e particulares continua a encolher. Em maio, os empréstimos a empresas baixaram pelo quarto mês consecutivo, e os feitos às famílias desceram pelo 15º mês. O malparado é que não dá sinais de descida.

Dados do Banco de Portugal publicados esta quinta-feira mostram que os bancos concederam 104.506 milhões de euros às empresas, menos 204 milhões que em abril. Já o crédito de cobrança duvidosa neste segmento voltou a aumentar, 390 milhões para 11.825 milhões de euros. Está a subir há cinco meses.

Do mesmo modo, o crédito total a particulares caiu 521 milhões em maio para 131.317 milhões de euros, ao passo que o malparado neste segmento aumentou 41 milhões para 5.179.

No seu conjunto, empresas e particulares não conseguem pagar à banca um total de 17.004 milhões de euros.

Numa análise por destino de financiamento, os bancos concederam menos 354 milhões para a compra de habitação, num total de 108.040 milhões de euros. É a 15ª descida consecutiva. Neste segmento, o malparado subiu 36 milhões para 2.322 milhões de euros.

Já o crédito ao consumo desceu 152 milhões para 12.630 milhões de euros, com o malparado a baixar aqui 10 milhões para 1.520.

No crédito para outros fins, foram emprestados 10.647 milhões de euros, menos 16 milhões que em abril, e o malparado atingiu 1.336 milhões, mais 14 que no mês anterior.