O Sindicato dos Trabalhadores do Grupo Portugal Telecom desistiu da luta judicial contra a aprovação da venda da PT Portugal aos franceses da Altice e quer encetar uma negociação direta com a Altice, escreve a Reuters.

Na semana passada, em assembleia geral da PT SGPS, os acionistas deram o sim à venda da PT Portugal à Altice por 7.400 milhões de euros.

O STPT batalhou pela suspensão da AG, antes da decisão, defendendo a reversão da fusão entre a PT e a Oi, pois considera que os brasileiros violaram os compromissos iniciais de criar um player global lusófono com a união entre PT e a brasileira Oi.

Em comunicado, o Sindicato disse que ponderou avançar com uma proposta de suspensão da decisão.

«No entanto, o STPT não tem legitimidade para requerer a suspensão da deliberação, pois sendo a PT SGPS uma sociedade aberta, a suspensão só poderia ser requerida por acionistas que possuam ações correspondentes, pelo menos, a 0,5% do capital social, o que não acontece com o sindicato», explicou.

Acrescentou que, qualquer atuação legal do STPT, visando a suspensão da deliberação da AG poderia ter «consequências graves» para o STPT em termos de responsabilidade por eventuais danos verificados que o mesmo não teria condições de suportar.

«Encontra-se assim afastada a possibilidade legal do STPT requerer no prazo de 10 dias a suspensão da execução da deliberação da assembleia geral do passado dia 22 de Janeiro», afirmou.

Esta segunda-feira a Associação de Investidores e Analistas Técnicos disse que quer que a Altice  dê à PT SGPS e seus acionistas uma opção, a longo prazo, para comprarem 20% da PT Portugal pelo mesmo preço que a francesa pagou. O STPT disse que acompanha a iniciativa apoiada pela ATM.