Os representantes dos dois maiores acionistas da PT SGPS, o Novo Banco e a Ongoing, manifestaram a intenção de votar contra a oferta pública de aquisição lançada pela empresária angolana Isabel dos Santos através da Terra Peregrin, escreve o Diário Económico.

Se isso acontecer. Condicionará o sucesso da operação, já que o Novo Banco tem 12,5% do capital da PT SGPS w a RH Holding detém uma fatia de 10,05%. No comunicado divulgado pela cotada na terça-feira dava-se conta que o representante do Novo Banco tinha votado não, como Gerald McGowan, administrador independente e João de Mello Franco, presidente da PT SGPS.

Também Nuno Vasconcelos, presidente da Ongoing, terá votado contra. A incógnita está do lado dos fundos de investimento internacionais, que detêm 10% da PT SGPS. O conselho de administração critica, aliás, a empresária angolana por não ter tido em conta os acionistas internacionais da entidade, ao não registar a OPA nos Estados Unidos, onde a PT SGPS é cotada.