«Mudei de opinião porque a Oi mudou de projeto: da criação de uma multinacional de língua portuguesa passou para uma operação doméstica no Brasil, sacrificando a PT Portugal».




«Sendo as pessoas indivisíveis, é impossível defender que a Oi não tinha conhecimento de operações cujo presidente e vice-presidente da PT Portugal conheciam e/ou ordenavam.Não subsistem pois, quaisquer dúvidas de que a PT Portugal foi o autor da tomada das participações das empresas na Rioforte. Sendo inquestionável que a Oi decidiu tais aplicações através da sua subsidiária, PT Portugal, é legítimo à PT SGPS denunciar o acordo de fusão».


«O investimento na Rioforte foi subscrito em abril de 2014 pela PT Portugal e pela PT Finance, à data ambas detidas a 100% pela PT SGPS. A PT Portugal só foi entregue à oi no mês seguinte.»