Portugal está em 31.º, na lista feita pelo Banco Mundial de 189 economias nacionais com base na regulação incidente sobre as pequenas e médias empresas (PME) privadas, designada Doing Business . Caiu uma posição, relativamente ao relatório do ano passado, avança a Lusa.

Nesta que é a 11.ª edição deste relatório anual, Portugal surge como a 13.ª melhor economia do ranking das 28 da União Europeia (UE), à frente, por exemplo, de Bélgica (36.º), França (38.º), Espanha (52.º), Luxemburgo (60.º) e Itália (65.º), e a primeira das oito da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

O ranking mede e identifica mudanças em regulações incidentes sobre as PME, a operar na principal área económica de cada país, reclamando ser um indicador sobre a melhoria da regulação e não sobre menos regulação.

A análise assenta em dez conjuntos temáticos: iniciar um negócio, obter licenças de construção, obter eletricidade, registar propriedade, obter crédito, proteção de investimentos, pagar impostos, fazer comércio internacional, aplicar contratos (disputas em justiça), e encerramento de empresas.

Nestas áreas, Portugal aparece com melhor desempenho em encerramento de empresas (23.º), aplicação de contratos (24.º) e comércio internacional (25.º) e pior em obtenção de licenças de construção, pagamento de impostos (81.º) e obtenção de crédito (109.º).

O ranking é liderado por Singapura, Hong Kong e Nova Zelândia, contando ainda nos cinco primeiros com EUA e Dinamarca, que surge como a primeira economia da UE. Nos dez primeiros lugares estão ainda Malásia, Coreia do Sul, Geórgia, Noruega e Reino Unido.