O vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, afirmou esta quarta-feira que as exportações portuguesas deverão terminar 2013 representando cerca de 41% do Produto Interno Bruto (PIB), pelo que este será «o melhor ano de sempre das exportações».

Paulo Portas falava na abertura da oitava edição do Portugal Exportador, que decorre hoje no Centro de Congressos de Lisboa.

Em cinco anos, sustentou o governante, Portugal passou de 28% do PIB (31 mil milhões de vendas em valor) para 40% do PIB no ano passado (45 mil milhões de vendas).

Este ano, Portugal alcançará os 41% do PIB «ancorado nas exportações», estimou Portas, exaltando o «imenso orgulho» nas empresas portuguesas.

Estes resultados, segundo Portas, dão uma «lição de humildade» às instituições internacionais que fazem previsões económicas e que olharam para as exportações portuguesas com grande ceticismo.

«Enganaram-se em 2012 e voltaram a enganar-se em 2013. 2012 foi o melhor ano de sempre das exportações e surpresa das surpresas 2013 voltará a ser o melhor ano de sempre das exportações portuguesas», disse.

Na mesma cerimónia, Pedro Reis, presidente do AICEP Portugal considerou também que as exportações são o passaporte para a saída da troika de Portugal.

«[São] a chave para a recuperação da economia. São o grande ingrediente do novo modelo sustentabilidade da economia. A semente do crescimento que está na curva das estrada», disse.