Os candidatos à subconcessão do Metropolitano de Lisboa e da Carris têm até meados de maio para apresentar propostas, de acordo com o anúncio do concurso público internacional publicado no Diário da República.

No anúncio, publicado na segunda-feira pela administração das empresas, é referido que os candidatos têm até às 23:59 do 52º dia a partir da publicação do início do concurso para apresentarem candidaturas.

Ainda de acordo com o documento, o critério de escolha para a adjudicação da subconcessão será o preço mais baixo apresentado pelos candidatos.

O prazo de execução do contrato de subconcessão é estabelecido em 96 meses (oito anos) a contar da data da celebração do contrato.

O secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, - que irá prestar esclarecimentos sobre este tema esta terça-feira – anunciou, a 26 de fevereiro, que a subconcessão das operações do Metro de Lisboa e da Carris deveria estar concluída até ao final de julho, no seguimento do concurso público internacional.

Os contratos a estabelecer com as empresas subconcessionárias preveem que estas vão ser obrigadas à renovação das frotas, nomeadamente na Carris, «quando estas atingirem uma determinada idade, por veículos de menor idade», indicou também Sérgio Silva Monteiro.

O Governo anunciou então prever uma poupança de 170 milhões de euros durante a vida dos contratos, considerando que serão no máximo de «cerca de 10 anos».

No Porto, com as novas subconcessões, essa poupança está já calculada em 153 milhões.

O secretário de Estado referiu ainda pretender que em Lisboa «se mantenha a atual regularidade de serviço, com preços que só poderão variar tendo como limite a variação da taxa de inflação».