O mercado de fusões e aquisições em Portugal registou 15 transações, caindo 45% em julho, face ao mesmo mês do ano passado, para 952 milhões de euros, segundo o relatório do mercado transacional de Portugal.

Segundo o relatório mensal da Transactional Track Record (TTR), desde o início do ano, foram registados no país 173 negócios, o que representa uma redução de 16,8% face ao mesmo período de 2017.

Do total de transações, 71 divulgaram um valor superior a 14,9 mil milhões de euros, refletindo um crescimento de 77,7% face ao período homólogo do ano anterior e que foi fortemente influenciado pela oferta pública de aquisição (OPA) lançada pela China Three Gorges sobre a EDP – Energias de Portugal em maio, avaliada em 9,1 mil milhões de euros.

O setor imobiliário permanece como o mais ativo do mercado português, refere o relatório, que contabilizou sete operações no setor e que, somadas às realizadas nos primeiros seis meses do ano, contabilizam 43 operações, o que representa uma queda de 4% sobre os números de igual período de 2017.

O documento destaca também o crescimento dos setores de tecnologia (29%), financeiro e seguros (25%) e turismo, hotelaria, restaurantes (20%).

Em número de operações ‘cross-border’ (internacionais), o mercado português somou 68 operações ‘inbound’, em que empresas portuguesas foram adquiridas por companhias estrangeiras.

Destas, 19 foram investimentos de empresas com sede em Espanha e que somaram 1,9 mil milhões de euros.

“Nove destas operações tiveram como objetivo o mercado imobiliário, que continua como o alvo principal das empresas estrangeiras”, indica.

Destacam-se ainda os investimentos de empresas sediadas nos EUA, que já realizaram 11 operações em território português no ano, o que representa uma subida de 37,5% em comparação ao ano anterior, e que acumularam um total de 834 milhões de euros.

No âmbito ‘outbound’, as empresas portuguesas fizeram 10 aquisições no mercado externo.

A transação destacada pelo TTR no mês de julho foi a aquisição, pela espanhola Merlin Properties, do centro comercial Almada Fórum à norte-americana Blackstone por 406,7 milhões de euros.