A portuguesa Rodovias de Venezuela e outras duas empresas de transporte, Expressos Ocidente e Expressos Camargui, foram multadas pelas autoridades venezuelanas por alegadamente obterem «excessivo lucro» na venda de bilhetes de autocarro.

Segundo Francisco Álvarez, da Superintendência de Preços Justos da Venezuela, as autoridades detetaram, durante uma fiscalização, que as empresas não estavam a cumprir os preços estabelecidos pelo Executivo e publicados na Gazeta Oficial, «incorrendo numa margem de lucro excessiva».

As três empresas foram multadas no equivalente a 11.939 euros.

Além da multa, as empresas foram obrigadas a «ajustar imediatamente os preços» de venda dos bilhetes e «a colocar num sítio visível a tabela de serviços».