A EDP concluiu esta sexta-feira a venda de ativos de distribuição de gás em Múrcia, Espanha, à Redexis Gas, recebendo cerca de 186 milhões de euros pelos ativos, o que resultou numa mais-valia de cerca de 78 milhões de euros.

«A EDP, através da sua subsidiária no negócio do gás em Espanha [a Naturgas], concluiu a venda dos ativos detidos pela Gas Energía Distribucion Murcia, parte integrante do perímetro de transação acordado. O montante recebido hoje por estes ativos ascende a 186 milhões de euros, resultando numa mais-valia de cerca de 78 milhões de euros», refere a energética portuguesa num comunicado divulgado na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

No entanto, «a conclusão da transação, no que respeita aos restantes ativos incluídos no perímetro acordado, está pendente de aprovação pelas relevantes autoridades regulatórias, sendo expectável que ocorra durante o primeiro semestre de 2015». Já o montante a receber por estes ativos ascende a 51 milhões de euros e deverá resultar numa mais-valia adicional estimada em cerca de cinco milhões de euros, acrescenta.

A EDP anunciou em meados de dezembro que iria vender, através da sua subsidiária Naturgas, ativos de distribuição de gás em Múrcia e outras regiões de Espanha ao operador espanhol Redexis Gas.

A transação inclui ativos de distribuição de gás detidos pela Gas Energía Distribuicion Murcia, bem como ativos em outras zonas de Espanha, principalmente Extremadura e Gerona, afastados das atividades atuais da Naturgas, que estão principalmente no País Basco, Cantábria e Astúrias.

O perímetro da transação inclui cerca 117.000 pontos de conexão de gás, diz a EDP, acrescentando que a Naturgas, subsidiária da empresa para o setor do gás em Espanha, vai manter aproximadamente 900.000 pontos de abastecimento.

Na altura, a energética portuguesa afirmava que o preço da transação total representa um valor de empresa de 236 milhões de euros, sem adiantar o valor do negócio.

A Redexis Gas é um operador de transporte e distribuição de gás espanhol detido pela Goldman Sachs Infrastructure Partners.