A fábrica da V. N. Automóveis, em Vendas Novas, que faz montagem de carroçarias para a marca japonesa Isuzu, vai avançar com o despedimento de 33 dos cerca de 80 trabalhadores, revelou um dirigente sindical à Lusa.

José Serra, dirigente do Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Transformadoras, Energia e Atividades do Ambiente do Sul (SITE-Sul), adiantou à agência Lusa que o despedimento resulta da deslocalização de linhas de produção da marca japonesa para Itália.

«A Isuzu retirou a montagem de carroçarias que tinha em Vendas Novas e vai ser um distribuidor da marca a dar continuidade ao trabalho em Itália», disse o sindicalista, após ter participado numa reunião com a administração da empresa.

Contactada pela Lusa, a administração da V. N. Automóveis recusou prestar esclarecimentos sobre o assunto.

José Serra explicou que a empresa já iniciou contactos com os trabalhadores que estão há menos tempo na fábrica «no sentido de chegarem a um acordo», sendo que a saída dos funcionários pode concretizar-se até ao final deste ano.

«O cenário que é apresentado aos trabalhadores não é o melhor, porque a empresa está a fazer propostas no sentido de as indemnizações serem pagas ao longo de 18 meses», indicou.

A V. N. Automóveis, acrescentou, «está a tentar encontrar novos projetos para segurar os restantes trabalhadores que são cerca de 50».

O dirigente sindical referiu que o SITE-Sul, afeto à CGTP, já pediu uma reunião ao Ministério da Economia para saber qual a razão que levou a Isuzu a tomar esta decisão, «seis meses antes de terminar o contrato que tinha com a V. N. Automóveis».

«O contrato ia até março de 2014, mas a empresa denunciou o contrato e avançou para a retirada do trabalho que tinha em Vendas Novas», assinalou.