A administração da japonesa Uchiyama assinou esta terça-feira um contrato de investimento prevendo 20 milhões de euros na ampliação e modernização da unidade que funciona em Viana do Castelo desde 1996, onde criará mais 30 empregos, informou fonte municipal.

Aquela fábrica, que funciona na Zona Industrial de Neiva, emprega atualmente 153 trabalhadores e especializou-se na produção de vedantes para rolamentos, fornecendo quase todas as marcas automóveis.

No plano da empresa, acrescentou a mesma fonte, está previsto um investimento imediato de cinco milhões de euros, para duplicar a área industrial, que inicialmente rondava os 4 mil metros quadrados.

A Uchiyama prevê mais 15 milhões de euros de investimento nesta unidade, a aplicar nos próximos três anos, para «apetrechamento tecnológico e modernização», que resultará na criação de mais 30 postos de trabalho.

O objetivo, sublinhou a fonte, é reforçar a competitividade da fábrica, que é essencialmente exportadora, na conquista de novos mercados, como o Brasil.

Trata-se de um investimento realizado ao abrigo do Regime de Incentivos ao Acolhimento Empresarial e à Regeneração Urbana, promovido pela Câmara de Viana do Castelo, prevendo a isenção total do pagamento das taxas pelo licenciamento da operação urbanística de ampliação, conforme contrato de investimento assinado esta terça-feira.

Prevê ainda o acompanhamento direto da autarquia ao projeto, nomeadamente na «agilização do processo de licenciamento».

A fábrica portuguesa integra o grupo Uchiyama Manufacturing Corporation (UMC), com sede no Japão e fundado em 1898.

Além de Portugal e do Japão, o grupo tem fábricas próprias nos Estados Unidos da América e no Vietname, sendo especialista na produção de vedantes de rolamentos e juntas para o setor automóvel, vedantes e cápsulas para garrafas, além de materiais de construção e de embalagem.