A TAP aumentou as despesas com pessoal em 4,5% no primeiro trimestre deste ano, período em que os Gastos com Pessoal no Setor Empresarial do Estado (SEE) diminuíram cerca de 5,3%, para 852,5 milhões de euros.

De acordo com o relatório da Direção-geral do Tesouro e Finanças sobre os resultados do SEE no primeiro trimestre de 2014, as Empresas Parpública (holding estatal) aumentaram os gastos com pessoal em 3,9 milhões de euros, o que é justificado pelo aumento de 4,7 milhões de euros na TAP, SA, decorrente de acertos salariais.

Este aumento contraria a tendência geral do SEE, em que os gastos com pessoal se reduziram cerca de 47,4 milhões de euros nos primeiros três meses do ano, face ao período homólogo de 2013.

Para esta redução contribuiu, entre outros, o sector dos Transportes (menos 11,1%), onde a Carris registou uma diminuição dos custos com pessoal em 3,4 milhões de euros, devido ao menor número de efetivos, e a CP teve uma redução de 3,8 milhões de euros devido ao menor volume de indemnizações por cessação do contrato de trabalho pagas no período em análise.

O relatório hoje divulgado salienta a diminuição verificada no setor da Comunicação Social (menos 12,4%), com a RTP a reduzir os gastos com pessoal em 2,8 milhões de euros (-13,3%), decorrente igualmente da diminuição do número médio de trabalhadores em cerca de 217, o equivalente a -10,7%.

O setor da saúde reduziu os custos com pessoal em 34 milhões de euros, o que corresponde a uma variação de menos 5,7% face ao período homólogo.

Segundo o documento do Ministério das Finanças, o setor da saúde representa cerca de 66% desta rubrica no conjunto do SEE.