A Siemens Portugal vai abrir na sexta-feira mais um centro de operações mundial de tecnologias de informação, o 13º em Portugal, e está em processo ativo de recrutamento para preencher 150 postos de trabalho altamente qualificados.

A inauguração do novo centro de competências da Siemens Portugal, situado nas instalações da tecnológica em Alfragide, contará com a presença do ministro da Economia, António Pires de Lima.

Em declarações em fevereiro à agência Lusa, o diretor financeiro da Siemens Portugal e membro da comissão executiva, Miguel Guerreiro, sublinhou que a empresa «ganhou mais este centro», que «resulta do esforço de uma década», depois da abertura do primeiro em 2005.

Numa primeira fase, até ao fim de 2014, explicou, serão contratados 150 profissionais altamente qualificados, mas no final do ano será tomada a decisão sobre a contratação de mais 300 no próximo ano (segunda fase), sendo as áreas mais procuradas a engenharia elétrica e eletrónica, eletrotécnica, computação, sistemas informáticos, telecomunicações, entre outras.

Na altura, Miguel Guerreiro disse que já tinham sido contratadas dezenas de profissionais para começar as operações em abril.

O novo centro vai reforçar a posição portuguesa «como plataforma de tecnologias de informação» e está vocacionado para a área do Corporate Automation e o desenvolvimento de softwares estratégicos para a organização Siemens, que serão utilizados nos 196 países onde a multinacional alemã está presente.

Esta será a 13ª unidade de exportação da empresa em Portugal, sendo que atualmente cerca de 40% dos colaboradores (cerca de 700) da Siemens Portugal já estão dedicados a estes centros de competências.

Na última década, os centros de competências da Siemens a funcionar em Portugal geraram mais de 400 milhões de euros de receitas, atuando nas áreas de energia, infraestruturas, saúde e serviços partilhados e fornecendo serviços dentro do mundo Siemens para mais de 40 países nos cinco continentes.

Esta nova aposta da empresa surge após uma recente reestruturação do grupo Siemens, em que a casa mãe Siemens AG identificou Portugal como um dos 30 países líderes mundiais do grupo, ou seja, que integra um conjunto de países responsável por 85% da faturação da Siemens a nível global.