A Siderurgia Nacional ameaça despedir 750 trabalhadores, por causa da elevada fatura energética paga pela empresa nas unidades do Seixal e da Maia.

Em declarações ao «Diário Económico», a administração da empresa garante que a siderurgia paga mais 35 a 50 por cento do que os concorrente diretos.

Se a fatura não baixar, a empresa admite encerrar a atividade em Portugal e transferir a produção para Espanha.

Quanto ao futuro dos 750 trabalhadores, não foi apresentada qualquer alternativa. Por isso, os sindicatos pediram já reuniões aos grupos parlamentares.

O ministério da Economia diz apenas que está a trabalhar para reduzir todos os custos de contexto das empresas a operar no nosso país.