A taxa de desemprego juvenil em Portugal atingiu os 37,7% em 2012, a quarta maior da União Europeia (UE), e mais de seis em cada dez jovens portugueses não trabalhavam nem procuravam emprego, divulgou esta sexta-feira o Eurostat.

De acordo com os dados do gabinete oficial de estatísticas da UE, no ano passado, o número total de jovens portugueses entre os 15 e os 24 anos totalizou 1.128.000, dos quais 266.000 tinham emprego, 161.000 estavam desempregados e 701.000 eram economicamente inativos, devido, por exemplo, à educação e formação, a responsabilidades familiares, a doenças ou a deficiências.

No total, 62,1% dos jovens portugueses eram economicamente inativos (não trabalhavam nem procuravam emprego), um valor superior à média da UE a 28 Estados-membros, que se situou nos 57,4%.

No conjunto da UE, existiam, em 2012, cerca de 57,5 milhões de jovens, dos quais 18,8 milhões estavam empregados, 5,6 milhões estavam desempregados e 33 milhões eram economicamente inativos.

No que respeita à taxa de desemprego jovem, Portugal registou, no ano passado, uma taxa de 37,7%, a quarta maior entre os 28 Estados-membros, com os três primeiros lugares a pertencerem à Grécia (55,3%), a Espanha (53,2%) e à Croácia (43%), o mais recente membro da União Europeia.

Portugal registou uma taxa superior à da média da UE, que se situou nos 23%, tendo a taxa de desemprego jovem mais baixa sido observada na Alemanha (8,1%).

A taxa de desemprego jovem em Portugal tem vindo a aumentar e, em maio (últimos dados divulgados pelo Eurostat), era de 42,2%.