Um em cada quatro portugueses (25%) que estavam desempregados no primeiro trimestre do ano encontraram trabalho no segundo trimestre e as restantes continuaram desempregados (58,6%) ou passaram a uma situação de inatividade económica (16,3%), segundo o Eurostat.

A média europeia é de 18,6% de pessoas que reentraram no mercado de trabalho do primeiro para o segundo trimestre do ano (4,1 milhões - quase um em cada cinco), de 64,8% (14,2 milhões de pessoas) que permanecerem desempregados e 16,8% (3,7 milhões) que passaram a uma situação de inatividade económica.

Portugal está, assim, acima da média europeia no que respeita a reinserções no mercado de trabalho.