A Venezuela pediu à Organização de Países Exportadores de Petróleo (OPEP) para manter a sua atual quota de produção de petróleo fixada em 30 milhões de barris diários.

«Há suficiente petróleo no mercado», disse o ministro venezuelano do Petróleo, Rafael Ramirez, que está em Viena para participar numa reunião em que a OPEP analisará se mantém ou modifica a atual quota de produção de hidrocarbonetos dos 12 membros daquele organismo.

Segundo o ministro venezuelano os membros da OPEP estarão também «de acordo em manter em cem dólares o preço básico» do barril de petróleo.

Rafael Ramirez congratulou-se sobre o eventual regresso do petróleo iraniano aos mercados, no caso da Organização das Nações Unidas, os Estados Unidos e a União Europeia suspenderem as sanções impostas ao Irão.

«Damos as boas-vindas a que se eliminem as sanções contra o Irão», frisou, sublinhando que, «quando se solucionar o tema das sanções o Irão tem uma quota (de produção) estabelecida» e que poderá «vender e comercializar o seu petróleo livremente».