O número de desempregados inscritos nos centros de emprego diminuiu 5,2% em fevereiro, face a igual período de 2013, para um total de 700.954 pessoas, e recuou 0,6% em relação a janeiro, divulgou o IEFP.

Segundo os dados do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) disponibilizados na sua página de Internet, face a fevereiro de 2013, registou-se uma diminuição de 5,2% do número de desempregados registados, o que representou menos 38.657 pessoas.

Em relação a janeiro, o total de desempregados recuou 0,6%, o que corresponde a menos 4.373 indivíduos.

O IEFP adianta que no final de fevereiro, encontravam-se inscritos como desempregados no continente e nas ilhas 700.954 pessoas, número que representa 74,7% de um total de 938.826 pedidos de emprego.

Os pedidos de emprego em fevereiro subiram 4% em termos homólogos e 0,6% em relação ao mês anterior, tal como as ofertas de emprego, que totalizaram 18.795 no final do mês passado. Em termos homólogos, as ofertas de trabalho cresceram 72% (7.865) e 9,9% (1.697) face a janeiro.

«A análise por género evidencia uma quebra anual do desemprego, tanto nos homens (-6,4%), como nas mulheres (-4,1%)», refere o IEFP.

Por idade, os adultos registaram uma descida de 6,2% e a dos jovens uma subida de 1,6%, no espaço de um ano.

"Quanto ao tempo de inscrição, os desempregos inscritos há menos de um ano baixaram em relação a fevereiro de 2013 (-13,2%), contrariamente aos desempregados de longa duração [tempo de inscrição igual ou superior a um ano], que aumentaram 5,7%", refere o IEFP.

As situações de procura de um novo emprego por parte dos desempregados recuaram 7,6% em termos homólogos e as relativas à procura do primeiro emprego subiram 22%.

A nível regional, o desemprego diminuiu em todas as regiões do continente, uma quebra homóloga de 5,3%, com a Região Autónoma da Madeira a acompanhar a tendência (recuo de 7,4%), enquanto nos Açores houve uma subida de 3,4%.

Por nível de escolaridade, o IEFP adianta que se registou uma diminuição em particular nos detentores do 2.º e 3.ºciclos do ensino básico, com -7,7% e -7,8%, respetivamente, sendo que «apenas os habilitados com o ensino superior assinalaram uma variação crescente», de 0,4%, em termos anuais.

As colocações realizadas durante fevereiro ascenderam a 7.426 em todo o país, mais 2.665 (56%) em termos homólogos, mas face ao mês anterior foi inferior em 21,1% (1.989).

«A análise das colocações por grupos de profissões (dados do continente), evidencia uma maior concentração em torno dos trabalhadores não qualificados (21,5) e dos trabalhadores dos serviços pessoais, de proteção e segurança e vendedores (17,3%)», conclui a IEFP, na síntese da Lusa.