Os salários estão a diminuir em Portugal, não só para quem se manteve no mesmo posto de trabalho, mas também nos novos empregos, revela o Banco de Portugal no Boletim Económico de Outono, divulgado esta terça-feira.

De acordo com o banco central, com base em dados da Segurança Social, cerca de 23% dos trabalhares que permaneceram na mesma empresa sofreram uma redução salarial.

Reportando-se aos anos de 2011 e 2012, o BdP escreve que o aumento da «fração de trabalhadores com reduções, que ascendeu a 22,2% e 23%, respetivamente» e explica que na década anterior esta percentagem não ia além dos 18%. «Este aumento é significativo na medida em que se reconhece que reduções nominais da remuneração podem ter um impacto negativo na produtividade», acrescenta.



No que se refere aos novos empregos, o Banco de Portugal identifica uma perda salarial de 11% face aos salários de 2011. O BdP estima que esta «rotação» envolve 776 mil trabalhadores, fala de um «contributo significativo da rotação de trabalhadores para a redução dos custos salariais com o emprego».