O número de desempregados a receber prestações de desemprego em setembro aumentou, ultrapassando os 390 mil, revelam dados da Segurança Social, que mostram que mais de metade das pessoas sem trabalho continuam sem este subsídio.

De acordo com os últimos dados disponibilizados na página da internet da Segurança Social, o Estado atribuiu em setembro 390.477 prestações de desemprego, mais 3.351 do que em agosto (387.126) e menos de metade dos 877 mil desempregados que o Eurostat contabilizou nesse mês.

Segundo a Lusa, sem receber este subsídio do Estado em setembro ficaram 487 mil dos desempregados registados pelo Eurostat em agosto (últimos dados disponíveis), ou mais de metade dos 877 mil desempregados registados pelo gabinete oficial de estatísticas da União Europeia.

Os últimos dados divulgados pelo Eurostat apontaram uma descida ligeira da taxa de desemprego em Portugal em agosto face a julho, de 16,6% para 16,5%, mantendo-se como a quinta mais elevada da União Europeia.

Os números da Segurança Social incluem o subsídio de desemprego, subsídio social de desemprego inicial, subsídio social de desemprego subsequente e prolongamento do subsídio social de desemprego, prestações que atingiram em setembro o valor médio de 485,33 euros, face aos 505,03 euros observados um ano antes.