A multinacional sueca IKEA planeia contratar 7 mil pessoas em todo o mundo, nos próximos 6 anos, revelou Petra Hesser, directora global de Recursos Humanos do grupo, ao Diário Económico.

Em Portugal o próximo processo de recrutamento será para a futura loja de Loulé, cujo investimento de 200 milhões deverá gerar 3 mil postos de trabalho.

No total, em Portugal, grupo planeia investir 1.100 milhões de euros, 60% dos quais já foram investidos. Poderão ser criados cerca de dez mil postos de trabalho, seis mil diretos e quatro mil indiretos.

A meta definida até 2020 para todo o grupo é faturar 50 mil milhões de euros, o que significa quase que duplicar o valor atual.

Para encontrar as oportunidades do IKEA basta entrar em www.ikea.com e escolher «Como trabalhar no IKEA». Nessa área existe um motor de busca que permite encontrar todas as vagas disponíveis no grupo.

Mas esta não é a única empresa que está a contratar em Portugal: a Visabeira Global, sub-holding da Visabeira que inclui empresas nos setores das telecomunicações, energia, tecnologias e construção, anunciou no dia 19 que está a recrutar 105 engenheiros e 35 gestores até ao final do ano.

Também o Governo português aprovou este mês, em conselho de ministros, sete projetos de investimento, no montante global de 391,2 milhões de euros, de acordo com informação do gabinete do vice-primeiro-ministro.

Dos sete projetos aprovados, seis são na área da indústria e um no setor mineiro, maioritariamente virados para o mercado externo.

Estes projetos de investimento são responsáveis por 1.784 postos de trabalho, dos quais 1.378 empregos serão mantidos, 406 novos são empregos diretos e 60 são indiretos.