A greve dos controladores de tráfego aéreo, que decorreu em dois períodos de duas horas esta quarta-feira, teve uma adesão de 100% e causou alguns atrasos e cancelamentos de voos, informaram representantes dos trabalhadores.

Fonte da TAP confirmou à agência Lusa que a empresa teve de reprogramar 50 voos (de um total de 251) devido à greve dos controladores aéreos, que decorreu entre as 07:00 e as 09:00 e as 14:00 e as 16:00.

A maioria dos voos reprogramados foram antecipados ou atrasados em relação ao horário previsto, com cancelamentos pontuais, adiantou a mesma fonte da transportadora aérea.

Fonte da ANA - Aeroportos de Portugal disse à Lusa que a paralisação que ocorreu durante a tarde levou ao cancelamento de 6 voos, em Lisboa.

Durante a paralisação da manhã, de acordo com o site da ANA ¿ Aeroportos de Portugal, foram cancelados 25 voos, com partida e chegada ao Aeroporto Internacional de Lisboa.

A greve parcial dos controladores aéreos teve uma adesão de 100%, segundo com o porta-voz da comissão dos trabalhadores da NAV Portugal, Carlos Valdrez.

A paralisação integra um conjunto de ações a nível europeu contra a «quebra dos compromissos da Comissão Europeia relativamente às propostas entregues pelos trabalhadores no que diz respeito ao projeto Céu Único Europeu».

Os controladores portugueses e os restantes trabalhadores da NAV escolheram esta forma de protesto para aderir à «jornada de luta europeia contra a decisão da Comissão Europeia de abandonar as negociações relativas à iniciativa do Céu Único Europeu, que visa aprofundar a liberalização e desregulação do espaço aéreo».

No âmbito da mesma jornada de luta os restantes trabalhadores da NAV Portugal - Informação e Comunicações Aeronáuticas, Engenharia, Sistemas e Manutenção e restantes funções de apoio operacional e administrativo - vão fazer uma greve de duas horas na quinta-feira, que vai decorrer entre as 13:00 e as 15:00.

Fonte da TAP disse à Lusa que «não é previsível que a paralisação de quinta-feira afete a operação da transportadora».

A ANA também prevê que esta greve «não afete o transporte».

Os representantes dos trabalhadores preveem que a adesão à greve de quinta-feira seja idêntica à de hoje mas não sabem qual será o impacto de paralisação nos voos, «sobretudo porque decorrem também greves parecidas noutros países».

A Federação Europeia dos Sindicatos de Controladores de Tráfego Aéreo (ATCEUC) e a Federação Europeia dos Trabalhadores dos Transportes (ETF) convocaram para hoje e quinta-feira jornadas de luta que, segundo um comunicado sindical, «terão um significativo impacto nas normais operações do tráfego aéreo europeu».