O programa de apoio ao emprego «Garantia Jovem» já abrangeu 76 mil jovens desde janeiro, sendo objetivo do Governo chegar a um total de 378 mil, divulgou hoje o Ministério da Solidariedade e do Emprego.

Desde janeiro, mês da entrada em execução do programa, foram abrangidos cerca de 76 mil jovens, dos quais 53 mil com idade inferior a 25 anos, e 23 mil com idade compreendida entre os 25 e os 29 anos, revelou a tutela.

Em janeiro e fevereiro, foram novos beneficiários do programa cerca de 18.300 jovens.

Relativamente à totalidade dos jovens abrangidos, perto de 5.300 foram colocados no mercado de trabalho e cerca de 29 mil integram, atualmente, estágios profissionais.

No âmbito do programa de apoio ao emprego, foram concedidos apoios a entidades empregadoras correspondentes à criação de 1.300 postos de trabalho, «traduzidos em colocação de jovens».

Do total de jovens abrangidos, perto de 24.300 integram formação profissional dual, 8.000 frequentam formação profissional de dupla certificação e 700 jovens frequentam formação profissional em cursos de especialização tecnológica.

No início de março, o ministro Pedro Mota Soares afirmou em Bruxelas que a expectativa do Governo é a de abranger, em 2014 e 2015, 378 mil jovens «num conjunto muito diferente de ofertas, que passam pela parte do emprego, pela formação profissional, mas também pela parte da educação».

A 28 de janeiro, o Governo anunciou um investimento aproximado de 1.300 milhões de euros para apoiar a formação e a criação de emprego jovem no âmbito do programa «Garantia Jovem».

De acordo com uma portaria publicada em Diário da República, a 27 de dezembro último, o Governo decidiu prolongar os apoios aos jovens desempregados inscritos nos centros de emprego até ao final de 2014.

São destinatários da medida os jovens com idades compreendidas entre os 18 e os 30 anos, as pessoas com idade superior a 30 anos com remunerações na Segurança Social nos 12 meses anteriores à entrada da candidatura, pessoas com deficiência e incapacidade, pessoas que integrem família monoparental e pessoas cujos cônjuges ou pessoas com quem vivam em união de facto se encontrem igualmente inscritos como desempregados no IEFP.

A portaria estabelece igualmente que até 31 de dezembro de 2014 são ainda destinatários da medida os jovens entre os 31 e os 35 anos, inclusive, inscritos como desempregados no instituto do Emprego e Formação profissional (IEFP).

O Governo apresentou em junho passado a reformulação do programa «Impulso Jovem» - agora denominado «Garantia Jovem» -, com o objetivo de o simplificar e alargar a mais jovens portugueses.

No Conselho Europeu de junho, os líderes europeus acordaram antecipar para 2014 e 2015 a disponibilização da verba de seis mil milhões de euros destinada à «Garantia Jovem», inicialmente prevista para o período 2014-2020.