Mais de 150 trabalhadores dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC) já comunicaram à administração a intenção de aderirem ao plano de rescisões amigáveis, juntando-se aos 64 que assinaram os acordos nos últimos dias.

De acordo com números da empresa, as rescisões concretizadas até à última sexta-feira representam cerca de cinco milhões de euros pagos em indemnizações a 64 trabalhadores.

Contudo, fonte da administração dos ENVC ressalvou à Lusa que «mais de 150 trabalhadores» já comunicaram a intenção de aderirem a este plano de rescisões, podendo concretizar a assinatura dos respetivos acordos nos próximos dias.

A administração dos ENVC assina na sexta-feira, com o grupo Martifer, o contrato de subconcessão dos terrenos, infraestruturas e equipamentos dos estaleiros. Por este contrato, o grupo privado, que criou para o efeito a empresa West Sea Estaleiros Navais, pagará ao Estado uma renda anual de 415 mil euros, até 2031, conforme concurso público internacional que venceu.

A West Sea deverá começar a recrutar 400 dos 609 trabalhadores dos ENVC nos próximos dias. Entretanto, os trabalhadores continuam a ser convidados a aderir a um plano de rescisões amigáveis, que vai custar 30,1 milhões de euros e que prevê o acesso ao subsídio de desemprego e à reforma.

As indemnizações individuais previstas no plano promovido pela administração da empresa pública - um salário por cada ano de trabalho, entre outras compensações -, variam entre os 6.000 e os 200 mil euros.

Em paralelo com o processo de subconcessão decorrerá o encerramento dos ENVC, empresa que em junho de 2014 completaria 70 anos de atividade, período durante o qual construiu mais de 220 navios de todos os tipos.