As empresas públicas de transportes perderam 474 trabalhadores em 2013 ao abrigo de rescisões por mútuo acordo, segundo dados do Ministério da Economia.

No final de 2013, Carris, Metro de Lisboa, CP, Transtejo, Sociedade de Transportes Coletivos do Porto (STCP), Refer e Metro do Porto tinham, em conjunto, 13.508 trabalhadores, menos 474 em relação aos 13.982 registados no final do ano anterior.

Desde 2010, já saíram destas empresas, por mútuo acordo, 2.898 trabalhadores.

O maior número de rescisões por mútuo acordo foi verificado na CP (1.046 desde 2010), seguindo-se a Refer (841), a Carris (357) e o Metro de Lisboa (311).

Na STCP, saíram 280 funcionários desde 2010, no Grupo Transtejo 52 e no Metro do Porto 11.