Uma empresa de transformação de papel instalada em Viana do Castelo, vai investir seis milhões de euros numa nova máquina para reforçar a produção da fábrica de fraldas descartáveis, anunciou hoje o proprietário da empresa.

Segundo Nuno Ribeiro a nova linha de produção a introduzir na Nunex, do grupo Suavecel Indústria Transformadora de Papel, vai permitir criar 15 novos postos de trabalho.

«Vamos adquirir agora uma nova máquina que vai ser instalada até ao final deste ano, num investimento de seis milhões de euros e vamos colocar mais 15 pessoas», adiantou à Lusa o responsável do grupo.

A nova máquina, com «tecnologia de topo a nível mundial», visa reforçar a produção de fraldas da linha de adulto e higiene feminina.

Atualmente a única fábrica portuguesa de fraldas descartáveis já produz, por dia, um milhão de unidades para criança.

«Trabalhamos 24 horas por dia, em três turnos de produção, seis dias por semana e produzimos 750 fraldas por minuto», explicou Nuno Ribeiro.

A unidade está instalada na Zona Industrial de Neiva, nas instalações da antiga multinacional de cablagens Leoni, encerrada em 2010.

«As marcas de fraldas que existem no mercado não são produzidas cá. Vêm de Espanha ou França. As nossas são 100% nacionais», garantiu o empresário.

A fábrica representou um investimento de 5 milhões de euros e, no último ano, contratou um total de 50 trabalhadores.

O ano passado o volume de negócios foi de 5,5 milhões de euros mas, para 2014, a administração do grupo espera atingir os 17 milhões de euros.

Neste momento, a Suavecel tem também na mesma zona empresarial uma outra fábrica, de transformação de papel, altamente robotizadas, que emprega cerca de 60 trabalhadores.

Produz papel higiénico, rolos de cozinha, guardanapos e lenços de papel. Além de marcas próprias, fornece ainda produtos de marca branca para todas as grandes cadeias nacionais de distribuição, além de Espanha e França.

Nas duas fábricas, que empregam um total de 110 trabalhadores, o volume de negócios, em 2013, foi superior a 40 milhões de euros. Para este ano as previsões do grupo apontam para uma faturação de 60 milhões de euros.

Cerca de 90 por cento da produção sai das fábricas de Viana do Castelo para grandes retalhistas nacionais e internacionais, sobretudo da Europa.

Só no último ano, o grupo Suavecel, que iniciou a sua atividade em 1996, investiu cerca de 8, 5 milhões de euros em equipamento produtivo e melhoria das instalações.