contratação coletiva

«Se comparamos 2013 com 2011 há realmente algum aumento, mas a nossa referência não pode ser o ano de 2011 que foi o pior, tem de ser uma referência em que a negociação coletiva decorreu de forma normal, antes da intervenção da ‘troika’, no período antes da crise», sublinhou Lucinda Dâmaso à entrada de uma reunião da Concertação Social na qual o tema vai ser discutido, citada pela Lusa.






«Enquanto houver milhares de trabalhadores que estão desprotegidos para nós é grave e portanto teremos que aumentar a contratação e negociação», acrescentou.