A Coca-Cola vai cortar entre 1.600 a 1.800 postos de trabalho a nível mundial para poupar custos, disse hoje um porta-voz da multinacional norte-americana de refrigerantes.

A empresa já começou a notificar os primeiros trabalhadores afetados pela medida, num processo que espera estar concluído nos próximos meses, adianta num comunicado.

«Comprometemo-nos a garantir um tratamento justo e equitativo a todo o pessoal afetado», acrescentou a multinacional, citada pela Lusa, que conta com uma força laboral em todo o mundo de 130.000 pessoas.

Já um porta-voz da empresa adiantou que o "redesenhamento laboral" da empresa irá ter "impactos nos postos de trabalho em todas as operações globais".

Em outubro do ano passado, a Coca-cola anunciou um plano de cortes com o qual espera poupar 3.000 milhões de dólares (cerca de 2.530 milhões de euros, à taxa de câmbio atual) até 2019, de forma a combater a descida do consumo de bebidas com gás no mercado norte-americano, numa altura em que as preocupações relativas à obesidade e doenças aumentam.