A CGTP decidiu hoje promover duas marchas de protesto no dia 19 de outubro que incluem a travessia da Ponte 25 de Abril, em Lisboa, e da Ponte do Infante, no Porto, disse à agência Lusa fonte sindical.

As marchas foram decididas pela comissão executiva da central e integram as iniciativas marcadas pelo Conselho Nacional para outubro contra a política de austeridade do Governo.

No início de setembro, a CGTP marcou para 01 de outubro um «dia de esclarecimento e mobilização nos locais de trabalho», para 05 de outubro um dia de «protestos variados» e uma «grande ação nacional de luta» a 19 de outubro, poucos dias após a entrega da proposta de Orçamento do Estado.

No primeiro dia de outubro, dia do aniversário da CGTP, os dirigentes da central vão desdobrar-se para estar em todo o país, nas empresas, para discutir com os trabalhadores os seus problemas e mobilizá-los para as ações de luta que vão ser promovidas em defesa das suas reivindicações e em protesto contra a política do Governo.

No dia 05 de outubro vão ser feitas greves totais e parciais, entre outras iniciativas, contra a retirada do feriado que assinalava a implantação da República e a redução do pagamento do trabalho extraordinário e em dia feriado.

A CGTP marcou «uma grande ação nacional de luta, com enorme expressão de rua», para 19 de outubro porque prevê que o Orçamento do Estado vá agravar os cortes nas áreas sociais e na administração pública e considera que os trabalhadores «precisam de dar uma resposta muito determinada» ao que está a ser preparado pelo Governo.

Ao longo do mês de setembro foram realizados plenários de dirigentes e ativistas sindicais da CGTP em todo o país para discussão da proposta reivindicativa e de ação da central.